Relato de uma jovem Mãe Empreendedora

Olá, quem vos escreve é uma jovem mãe empreendedora que deseja compartilhar com as outras mães sua própria história, sua rotina e o seu parecer sobre como é trabalhar em casa.

Além de mãe empreendedora, sou mulher e esposa. No ano de 2016 fui promovida à mãe e logo em seguida à empreendedora.

O sonho de empreender já vem de algum tempo atrás e de algumas frustrações também.

De uns 3 anos pra cá, eu sonhava em ter um negócio próprio e encontrar de vez “minha vocação”. Eu buscava algo que fizesse meus olhos brilharem e que desse sentido a minha vida.

O sonho era lindo, mas como eu disse, tive várias frustrações. Eu queria empreender, mas não sabia como e muito menos em que área.

A vontade era grande, eu tinha algumas ideias, mas nada de concreto. Eu sai do emprego mesmo sem ter certeza do que iria acontecer ou o que eu iria fazer.

Conversei com um colega de trabalho e ele me disse que precisava de alguém para ajudar na venda de sites e que o trabalho poderia ser feito de casa. Eu precisaria investir apenas em um telefone ilimitado, já que a internet eu já tinha.

Não pensei duas vezes! Contratei o serviço de telefonia, estudei tudo e comecei a trabalhar de casa. Fiquei super animada, pois eu poderia trabalhar de casa e ter minha liberdade de horários. Uhuhuh!

[…] Que nada! Eu odiei o trabalho, era muito repetitivo, poucas pessoas atendiam o telefone e nem esperança de conseguir realizar alguma venda. Rapidamente eu desisti. O sofá passou a ser mais atrativo.

Passaram alguns meses e a grana acabou! Eu precisava trabalhar e ajudar em casa. Como eu não tive nenhuma ideia e eu não consegui sair do lugar voltei ao mercado tradicional de trabalho.

E […] fiquei apenas os 3 meses de experiência. O clima na empresa era ruim, não recebi nenhum salário em dia, o chefe vivia tendo crises, então decidi sair e me dedicar ao Marketing Multinível.

Marketing Multinível?! Sim! Um pouco antes de sair do meu emprego meu marido e eu conhecemos uma empresa de MMN e resolvemos nos cadastrar. Isso só reforçou minha vontade de sair do emprego.

Gostei muito de trabalhar com MMN e me dediquei totalmente. Mergulhei de cabeça. Tivemos alguns bons resultados, mas com o passar do tempo percebemos que nossos resultados dependiam mais de outras pessoas que nós mesmos.

Era um trabalho sem fim. Então, desisti.

Depois de um tempo parada resolvi que queria fazer algo totalmente diferente da minha formação e do que eu estava acostumada. Me matriculei em curso de Corte e Costura.

Amei fazer o curso, investi em materiais e estrutura de trabalho.

A ideia era trabalhar em casa com confecção de vestidos de festa. Nessa época eu já fazia planos de engravidar e queria muito trabalhar em casa e ter tempo de cuidar da minha filha.

Ao final do curso eu engravidei. A partir dai alguma mudou, pois eu perdi totalmente o interesse em costurar.

Foi uma surpresa pra todo mundo, já que eu havia montado toda estrutura de trabalho e me mostrava empolgada. Mas não sei explicar o porque, eu desisti.

Durante minha gravidez decidi simplesmente não pensar em nada relacionado. Eu queria voltar minha atenção apenas pra gravidez. Assim eu fiz.

Quando minha filha nasceu, eu descobri o maior amor do mundo. Eu ficava deslumbrada olhando pra ela sem acreditar que aquele serzinho lindo e fofo estava dentro de mim.

A partir dali me tornei outra pessoa!

mãe-empreendedora
Com o passar dos meses a vontade de cuidar dela e de acompanhar o seu crescimento tomou conta de mim. Eu queria ter o máximo de tempo com ela possível. Apesar de entender que meu marido também precisava da minha ajuda financeira.

Bem, a hora ela aquela! Minha filha estava com 3 meses e eu precisava empreender ou voltar ao meu trabalho tradicional.

Pensei muito e durante as sonecas da minha filha buscava informação na internet pra me ajudar a escolher um caminho. Eis que tomei uma decisão e decidi trabalhar com marketing digital.

Eu também já havia me aventurado na área do marketing digital. E apesar de ter me apaixonado pela área, eu tomei decisões erradas e não tive persistência. Era tudo muito novo ainda e me causava insegurança.

Foi então, que resolvi retomar do zero e recomeçar em segredo. Não queria chamar atenção, não queria ser questionada ou apontada e muito menos desanimada.

Assim a cada cochilo da minha filha, em meio ao caos da minha casa, eu largava tudo e corria pra frente do computador pra estudar.

Gastava um dia inteiro pra conseguir colocar minha casa em ordem, pois me dividia entre as tarefas domésticas, cuidados e atenção à minha filha e claro ao meu projeto de empreendedorismo.

A noite, lá estava eu, exausta mas feliz por te vencido mais um dia. Mesmo sabendo que minha noite de sono seria “interrompida” a cada 3 horas pela minha princesa.

Até ai, estava tudo lindo, mas confesso que não era possível seguir essa rotina todos os dias.

Decidi conversar com meu marido e contar a ele o que estava acontecendo. Afinal eu precisava de ajuda caso eu quisesse continuar.

Ele precisava entender o que estava acontecendo, como eu me sentia e como estava difícil conciliar todas essas funções.

Pra minha sorte ele entendeu e me deu o maior apoio. Combinamos que durante a noite ele ficaria com nossa filha pra eu me dedicar pelos menos 2 horas por dia ao meu negócio.

Ufa! […] Tudo certo. #sqn (Só que não!).
Eu corria o dia todo, no final da tarde eu já adiantava a janta, organizava parte da bagunça da cozinha, levava Alice para tomar um ar fresco, dava banho nela e esperava meu marido.

Tudo isso com muita luta, tentando ao máximo distrair minha pequena pra ela me deixar fazer tudo isso.

Enfim meu marido chegava e eu terminava a janta e jantávamos. Ele tomava banho e eu ia arrumar a cozinha (também com intuito de adiantar pro dia seguinte).

Tudo certo, agora eu só precisava tomar um banho e me dedicar ao meu projeto.

Então, minha filha simplesmente se negava a ficar com marido. Só queria ficar comigo. Eu dava dicas pro meu marido distraí-lá, mas nada funcionava.

Ela queria a mamãe. (rsrsrs) Meu coração chorava de desespero por não conseguir trabalhar, mas pulava de alegria ao saber que eu a fazia bem.

Eu me rendia a minha pequena e ia me deitar com ela pra ela que pudesse dormir.
… Vezes ela dormia logo e eu voltava correndo pro computador.
… Vezes ela brincava por muito tempo antes de finalmente dormir e eu voltava pro computador.
… Mas a maioria das vezes eu simplesmente dormia junto com ela ou só me levantava pra desligar o computador, já que o cansaço falava mais alto.

Mas as coisas não pararam por aí. Minha pequena foi crescendo e ficando cada vez mais esperta. O orgulho da mamãe (rsrsrs). O bebê conforto já não era mais legal. Legal era o colo da mamãe ou o sofá com a mamãe juntinho.

Ficou mais difícil fazer as tarefas de casa e mais difícil ainda ter tempo para o desenvolvimento do meu negócio.

A cada soneca eu definia uma prioridade, já que fazer as coisas com ela acordada estavam difíceis. E entre uma escolha e outra nem sempre era possível escolher o meu trabalho.

As noites continuavam difíceis e se somavam há várias outras mal dormidas. Levar minha pequena para cama e não dormir junto passou a ser quase impossível.

Quando eu me dava conta, dias haviam se passado e eu não havia desenvolvido quase nada. Por muitas vezes chorei e me senti impotente. Se não fosse o sorriso da minha pequena e a agradável companhia dela eu realmente teria desistido.

O bloco de notas do meu celular virou meu melhor amigo, pois enquanto minha pequena dormia eu aproveitava os poucos minutos de disposição para escrever, criar, planejar e seguir em frente.

Eu comprei um curso online para me ajudar na montagem da minha estrutura de trabalho, pois eu precisava de algo que fosse direto ao ponto. Então, determinei como meta terminar o curso e aplicar todos os ensinamentos em 1 mês.

Afinal, eu li depoimentos de pessoas que trabalhavam 2 horas por dia e que em 10 dias tinham tudo pronto. Então, entre uma troca de fralda e uma mamada eu conseguiria concluir meu objetivo com 1 mês.

Finalmente passados 3 meses eu consegui! (rsrsrsr) isso mesmo! Eu me esforcei ao máximo e com 3 meses conclui o desenvolvimento do meu projeto. E vou confessar uma coisa para vocês[…]

Quando eu terminei a etapa de desenvolvimento eu me senti realizada e pronta pra qualquer negócio! Tantos obstáculos, dificuldades e lágrimas me fizeram mais forte e mais determinada a mudar minha história e conquistar meus objetivos.

E foi por isso que resolvi escrever esse relato. Eu quero dizer pra você, mãe, mulher, esposa que deseja empreender ou trabalhar de casa. Não vai ser nada fácil, terão dias mais difíceis que fáceis, mais lágrimas do que sorrisos, mais cansaço do que ânimo, mas em contrapartida terá o melhor sabor de vitória da sua vida!

Então, seja qual for seu sonho, seus desejos. Você é capaz!

Quero aproveitar e deixar registrado o meu agradecimento ao meu marido que sempre me apoiou e a minha maior realização, minha linda filha.

A pessoinha que me dá força todos os dias e me faz querer melhorar e me superar todos os dias.

Aprenda a Trabalhar em Casa com o Curso Viver Melhor Agora da Karyne Otto

Tatiane Faria

Olá, meu nome é Tatiane Faria, tenho 30 anos, sou casada, mãe da Alice e agora Empreendedora Digital. Descobri à mobilidade da internet e as possibilidades que ela oferece. Quer descobrir também?

Website: http://www.euempreendedora.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *